Mostrando postagens com marcador Como podar uma frutífera?. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Como podar uma frutífera?. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 21 de junho de 2017

A arte de podar, necessidade ou não?


                 

A arte de podar nasceu da irracional iniciativa de um asno e essa origem muar desse ramo da horticultura parece ter influído até hoje na evolução pouco esclarecida dos processos e métodos mundiais de poda. Contamos Portes & Ruyssen (1884) que, segundo Pausâmias, geógrafo e historiador grego, foi um jumento que, devorando os sarmentos de uma videira, deu aos nauplianos a idéia de podá-la 
 (Inglez de Souza, 1986). 

Considera-se que cabras, ovelhas e burros foram os descobridores da poda e, portanto, são chamados de os pais da poda.

Quando as plantas começam a diminuir a sua atividade fisiológica, ou seja, com a chegada do frio, é sabido que está chegando a hora correta  de se fazer uso da tesoura  de poda. Deve-se então preparar  com antecedência as ferramentas  com por exemplo: amolar  as ferramentas, limpar  as lâminas impregnadas de ferrugem  por estarem guardadas  desde o ano anterior, lubrificar  a mola da tesoura e afiar o serrote.
O ritual do corte está para começar.





Definições e Objetivos


Para Joaquim Rasteiro, podar “é o conjunto de cortes executados numa árvore, com o fim de lhe regularizar
a produção, aumentar e melhorar os frutos, mantendo o completo equilíbrio entre a frutificação e a vegetação normal, e, também com o fim de ajudar a tomar e a conservar a forma própria da sua natureza, ou mesmo de a sujeitar a formas consentâneas ao propósitos econômicos de sua exploração”.

A importância de se podar varia de espécie para espécie, assim poderá ser decisiva para uma, enquanto que para outra, ela é praticamente dispensável. Com relação à importância, as espécies podem ser agrupadas em:

Decisiva: Videira, pessegueiro, figueira, nespereira.
Relativa: Pereira, macieira, caquizeiro, oliveira.
Pouca importância: Citros, abacateiro, mangueira, nogueira, pecã.

Como regra geral para se saber se a poda é uma operação importante ou não, pode- se estabelecer que ela é tanto mais necessária quanto mais intensiva for a exploração frutícola e, inversamente menor a sua importância quanto mais extensiva for a cultura. Esta importância da poda está também diretamente relacionada com o objetivo da exploração, ou seja, que tipo de produto o mercado exige; pois com a poda pode-se melhorar o tamanho e a qualidade dos frutos.

O podador deverá fazer uso de seus conhecimentos e habilidades,
onde um gesto seguro reflete a  convicção
de quem acredita que a interferência humana é imprescindível para modelar um pomar.
Na natureza, as plantas crescem sem qualquer modelamento, buscam sempre a tendência natural de crescerem em direção à
luz, tomando a forma vertical, e com isso perdem a regularidade de produção.

Para que a poda produza os resultados esperados, é importante que seja executada levando-se em consideração a fisiologia e a biologia da planta e seja aplicada com moderação e oportunidade.

A Arte de Podar
Embrapa – Meio Ambiente Setembro de 2009

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Como podar uma Pereira? Veja!





A poda é uma prática fundamental para que se obtenha frutos e qualidade..
Pesquisador da Embrapa de Pelotas José Francisco demonstra a maneira correta...

quarta-feira, 24 de maio de 2017

A IMPORTÂNCIA DAS PODAS NAS ÁRVORES FRUTÍFERAS

 Vamos apoveitar esta época para podar nossas frutíferas!

Boa semana!

alexandre


As podas fazem parte de um conceito mais amplo, que é o de conservação da vegetação, seja ela nativa, ornamental ou de grandes áreas cultivadas comercialmente para a produção de alimentos.

Elas podem ser executadas tendo em vista uma variedade distinta de objetivos, todos eles direcionados ao melhor desempenho possível que podemos obter de uma planta.
De uma maneira geral, podemos dizer que as podas são executadas para que façamos certas correções no desenvolvimento das plantas, de acordo com as necessidades de luz, adubação e irrigação, ou seja, para mantermos a planta saudável e com um desempenho adequado às suas características. É um importante recurso utilizado para obtermos resultados concretos na produção de muitos tipos de plantas e árvores. Desta maneira, torna-se uma técnica economicamente muito importante para agricultores, pois pode representar aumento na produtividade e maiores lucros.




Existem três tipos básicos de podas, que são executadas de acordo com a planta e o objetivo do
cultivo. São elas a poda de produção, a poda de limpeza e a poda de formação.

A poda de produção, como o nome já explica, visa aumentar a produção e a produtividade de uma planta. É amplamente utilizada no cultivo comercial de frutíferas, por exemplo. Para que este tipo de poda surta os melhores efeitos, o agricultor deverá conhecer muito bem o processo vegetativo das plantas, sob o risco de diminuir a produtividade, ao invés de aumentá-la.

A poda de limpeza é a mais conhecida, utilizada não só em grandes plantações mas, também, em jardinagem caseira. Esta modalidade visa eliminar galhos ou ramos mortos, secos, ou que apresentem má formação. Isto faz com que a energia vital da planta não seja "desperdiçada" com estes ramos ou galhos problemáticos, ajudando no melhor desenvolvimento do vegetal.

Por último, existe a poda de formação que é feita no início da vida do vegetal, quando este atinge um certo tamanho e precise sofrer uma correção no rumo de seu desenvolvimento. Este procedimento faz com que as plantas cresçam mais fortes, com boa formação de arbustos, frutificações, etc. e principalmente, alcancem o máximo de sua produtividade através de uma condição bastante saudável.

As podas devem ser feitas com ferramentas adequadas, para cada tipo de planta ou cultura. Não devem ser feitos cortes irregulares e, para isso, os instrumentos utilizados devem ser bem cortantes e afiados. Como as podas são feitas desde pequenos vegetais até grandes árvores, as ferramentas utilizadas podem e devem ser completamente diferentes, variando desde um pequeno alicate especial para poda até uma motosserra, utilizada para a execução de podas em grandes árvores.

Como toda poda é uma "mutilação", mesmo que benéfica, em certos casos é interessante que se utilize algum produto especial, no local do corte, para que haja uma cicatrização mais rápida e eficiente. Esses produtos são facilmente encontrados no comércio especializado.
Por último, é importante ressaltar que em plantações comerciais nas quais os procedimentos de poda geram uma grande quantidade de resíduos (os ramos podados), estes devem ser tratados e utilizados de maneira racional e ecologicamente correta. Não devemos proceder queimadas, em hipótese alguma. Além disso, estes resíduos podem ser aproveitados para a geração de energia, através da produção de biomassa e há, também, a alternativa de uso na produção de composto orgânico.

Data Edição: 05/07/05

Fonte: Redação RuralNews

Mais sobre poda nos sites:
 http://www.adjorisc.com.br/jornais/folhadooeste/impressa/agronegocios/poda-em-arvores-frutiferas-propicia-beneficios-a-planta-1.317958

http://redeagroecologia.cnptia.embrapa.br/boletins/frutiferas/poda%20de%20frutiferas.pdf

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Plantar e enxertar – Da regra à exceção!

Extraído do site www.esmeraldazul.com



No Inverno é tempo de plantar as árvores de folha caduca que, estando dormentes, podem ser plantadas de raiz nua, ou seja, sem terra envolvendo a sua raiz.

Macieiras, pereiras, ameixeiras, pessegueiros e outras fruteiras caducifólias entram emdormência à queda da folha e nem a parte radicular cresce. Mas, embora poucos saibam, araiz recomeça o crescimento quase um mês antes da parte aérea, pelo que, se queremos perturbar o menos possível a árvores na sua transplantação do viveiro para o local definitivo, devemos plantar entre a queda da folha e um mês antes da rebentação.

No caso da produção biológica devemos dar preferência a variedades mais resistentes às pragas e doenças  para termos mais facilidade de produzir boa fruta sem pesticidas.

Deixamos alguns exemplos dessas variedades para algumas espécies:
  • Macieira: Bravo de Esmolfe (pouco sensível ao pedrado, a principal doença da macieira), Querina ou Florina e Summerfree (resistentes ao pedrado);
  • Pereira: Conference (resistente ao pedrado da pereira), Carapinheira (pouco sensível ao pedrado);
  • Ameixeira: Santa Rosa (pouco sensível á mosca da fruta), Stanley e Rainha Cláudia (resistentes aos afídeos, sendo esta última produtiva só em regiões de invernos mais frios);
  • Pessegueiro: em geral as variedades do tipo "pavia” ou "maracotão” (de roer, de polpa aderente ao caroço) são mais resistentes à lepra, a principal doença do pessegueiro.
No inverno também podemos plantar árvores de folha persistente como os citrinos, mas nas regiões mais frias devem ser plantadas mais tarde. Podemos considerar esta uma situação excecional pois os citrinos são preferencialmente cultivados em zonas mais quentes, mediterrânicas ou subtropicais, pelo que cultivá-los em regiões onde as geadas são regra no inverno constitui uma exceção.

Para reproduzir as variedades com garantia de que têm a mesma qualidade do que a árvore que lhes deu origem faz-se em geral a propagação vegetativa e não a seminal.

É que da semente pode resultar bom ou mau pois a genética pode pregar algumas partidas. Quando a estacaria não é boa solução, o que acontece frequentemente pelas limitações de crescimento da raiz da variedade que se pretende cultivar para dar bons frutos, recorremos àenxertia. No Inverno enxerta-se de garfo como no caso da videira da figura 1.
Figura 1 – Enxerto de garfo simples de fenda cheia em videira - variedade Moscatel de Hamburgo em bacelo (ou porta-enxerto) 1103P

Uma variante ao garfo de fenda cheia é o garfo de fenda lateral, que resulta bem em macieira e de que damos uma panorâmica nas figuras 2, 3, 4 e 5. Com algum engenho e arte, o leitor poderá fazer o mesmo com o cuidado principal de unir casca com casca e de isolar bem o enxerto para que ligue antes que seque.

No próximo artigo mostraremos o resultado do enxerto.

Figura 2 – Corte lateral sem chegar ao centro do ramo

Figura 3 – Encaixe do garfo unindo a casca de um dos lados.

Figura 4 – Atar com ráfia para garantir a melhor união.

Figura 5 – Isolar com pasta de enxertia para não deixar secar.


EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Aprenda a podar frutíferas. Tire suas dúvidas


 Uma dúvida que muitas pessoas tem em comum: Como podar uma frutífera?

      Pensando nessa pergunta, resolvemos ajudar você a conseguir podar sua árvore.
      O processo da poda em árvores frutíferas é muito importante, pois além de um recurso estético, também estimula o crescimento e aumenta sua produção de frutas. Portanto, é especialmente importante podá-las corretamente para que cresçam fortes e produzam bastante.
      Temos como objetivo das podas:
1º- Modificar o vigor da planta;
2º- Produzir mais e melhor fruta;
3º- Manter a planta com um porte conveniente ao seu trato e manuseio;
4º- Modificar a tendência da planta em produzir mais ramos vegetativos que frutíferos ou vice-versa;
5º- Conduzir a planta a uma forma desejada;
6º- Suprimir ramos supérfluos, inconvenientes, doentes e mortos;
7º- Regular a alternância das safras, de modo a obter anualmente colheitas médias com regularidade.
fichero_120203_20141215
      Há quatro principais tipos de poda: de formação, limpeza, verde e de frutificação.
      As podas de formação, limpeza e verde são indicadas para todas as frutíferas. Já a poda de frutificação é indicada para algumas frutíferas, como a figueira, videira e pessegueiro.
      A poda de formação leva este nome pois é feita quando a muda está ganhando corpo. Serve para orientar o crescimento e fazer com que desde cedo os ramos sejam bem distribuídos, o que futuramente fará com que a planta receba toda a luz e ventilação necessária que ela precisará para total desenvolvimento.
      A poda de limpeza (que vale lembrar que serve para todas as frutíferas) deve ser feita durante toda a vida da árvore. Essa poda tem como objetivo revigorar a árvore antes de cada safra. Recém plantada a árvore, devemos eliminar os brotos que surgem logo abaixo da copa e do ponto de enxertia. Esses brotos são ladrões e se alimentam da seiva da planta enfraquecendo-a. Quando a planta estiver mais velha, com cerca de quatro anos ou mais, devemos eliminar todos os galhos secos, mal-formados e doentes que a árvore apresentar.
      A poda verde  deve ser realizada após o terceiro ano de vida, quando a planta está bem viçosa, no auge do crescimento. Se a folhagem for muito densa a ponto de comprometer a ventilação e a penetração de luz na árvore a safra será prejudicada. A poda verde é um raleio de folhas, excesso de ramos e brotações com poucos ou nenhum fruto.
      E a poda de frutificação, que é utilizada somente nas frutíferas de clima temperado. É realizada quando as plantas estão em repouso, serve para eliminar ramos antigos, que deram frutos no ano anterior, permitindo que os ramos novos carreguem a safra com mais força e vigor.
FOTO02_POMAR_podas-500x340
      E qual a época que se deve podar?
      As frutíferas devem ser podadas no inverno, pois neste período a árvore não estará em processo de produção de folhas e frutos, mas sim em dormência. Isto torna mais fácil o processo, e não causa danos a planta.
Obs: se quiser retardar o crescimento de uma árvore, deve realizar a poda no início do verão.
      Corte os ramos secundários do caule principal da planta, em seus primeiros anos de vida e crescimento. Desta forma, a árvore se desenvolverá melhor e ficará mais vistosa. Podar as árvores jovens nos três primeiros anos pode significar uma menor produção de frutos no início, mas a longo prazo, suas árvores crescerão fortes e produtivas.
      Aprendendo a Técnica Básica
      A ferramenta adequada é o primeiro passo. Use tesourasafiadas em árvores jovens, com ramos de poucos centímetros de diâmetro ou menores. Serrotes e serrilhas de jardinagem são indicados para árvores mais maduras.
      Manutenção da Poda
      Observe suas árvores frutíferas no início da primavera, logo após os botões aparecerem.
      Se vários ramos verticais estiverem competindo para ser o líder, selecione um único galho e pode os outros.
      Pode o topo do ramo vertical da planta. Desta forma você incentivará o crescimento e o desenvolvimento global de árvore. Quanto mais frondosa uma arvore é, mais ela aproveita da luz solar. Não faça isto até que a árvore tenha atingido a altura desejada.
      Para uma boa saúde de sua árvore frutífera, remova todos os galhos ruins. São eles os secos, doentes, descoloridos ou quebrados.
       Pode também os ramos que apresentarem pouco crescimento. Remova todos os ramos que estão crescendo juntos ou competindo por espaço.
      Tente podar tanto o topo da árvore quanto sua vegetação mais abaixo (ao alcance da tesoura). Isso permite que mais luz do sol alcance os galhos sombreados, incentivando-os a produzir frutos.
podando frutifera
      É importante lembrar que técnicas de corte inadequadas podem levar a doenças e infestações de pragas. Faça cortes limpos e rentes, e não deixe tocos para trás, no caule da árvore.
      Após a poda, o local fica exposto à entrada de fungos ou pragas pelos cortes. O Forth Cobre concentrado tem a função de proteger os cortes contra a entrada de doenças ou pragas. Pincele o Forth Cobre diretamente nos cortes. Ele cria uma camada de cobre, cálcio e enxofre que sela os cortes. Assim, o Forth Cobre protege suas plantas evitando o apodrecimento de galhos após a poda. Utilizamos e recomendamos.