quarta-feira, 14 de junho de 2017

Substratos ideais para plantio em vasos


Autor: Sidnei Trindade, em Jardinagem,Paisagismo


Fibra de coco
A nova realidade urbana do Brasil do século XXI impõe uma única escolha aos amantes de jardins que moram em áridos locais rodeados de cimento e asfalto: os vasos. Hoje, muito por conta do desenvolvimento de espécies que se adaptam aos espaços cada vez mais diminutos, é possível ter árvores e palmáceas em ambientes internos, como nos provam o paisagismo de shopping centers. Se a escolha recai sobre flores e arbustos, as alternativas são inúmeras, tanto do lado dos cultivares quanto do tamanho dos recipientes. Contudo, é preciso um cuidado extra na escolha dos substratos ideais para plantio em vasos.
Casca de pinus
Casca de pinus
Além da tradicional e sempre lembrada terra vegetal, há diversos substratos criados a partir das necessidades físicas e nutricionais das diversas espécies de plantas ornamentais existentes. Como já foi dito em textos anteriores, o substrato é o vetor onde as plantas desenvolverão as raízes que a fixarão e o meio físico de onde elas retirarão os nutrientes essenciais à sua subsistência. Os substratos existentes são uma mistura homogênea de elementos orgânicos e minerais que podem ser produzidos pelo ser humano tanto de forma caseira quanto industrial.
Vermiculita
Vermiculita
As características comuns a todos os substratos são:
  • Ser o suporte monopodial ou simpodial à planta e aos seus rizomas;
  • Ser fonte de nutrição e permitir a interação com os reforços de adubo;
  • Perfeita retenção da umidade necessária à espécie de planta escolhida;
  • Adequação ao crescimento rizomatoso (das raízes) e consequente agregamento;
  • Estar livre de doenças e demais fatores de contaminação.
Dentre os substratos mais facilmente encontrados em casas de jardinagem, podemos destacar alguns. Para que todas as dúvidas sejam dirimidas a contento, deve-se procurar um especialista informando a planta escolhida, o tipo de vaso e o ambiente em que ela ficará.
Fibra de coco
Fibra de coco
Casca de arroz – material que agrega boa permeabilidade e porosidade ao substrato, permitindo crescimento adequado de raízes pivotantes e fasciculadas, além de fornecer micronutrientes importantes, como o potássio e magnésio.
Vermiculita – mineral de origem ígnea (oriundo do resfriamento do magma), cuja capacidade de retenção de água é muito utilizada em solos arenosos. Bom veículo para nutrientes, graças à sua capacidade de suportar a temida lixiviação causada pela chuva.
Fibra de coco – muito usada como substrato de orquídeas graças à porosidade e leveza. Capaz de reter água com muita facilidade e perfeita por ser um material facilmente esterilizável.
Turfa –  material vegetal, resultado da decomposição parcial de musgos e cascas de árvores. O mais caro dentre os substratos aqui descritos, já que as chamadas turfeiras são ecossistemas que são protegidas por diretrizes ambientais específicas. Usada em conjunto com substratos vegetais e minerais que precisem de aporte poroso e nutritivo.
Casca de pinus – mais um substrato muito usado por orquidófilos por permitir retenção de água e rápida troca gasosa com o ambiente. Atóxica e perfeita para eliminar focos de erosão em terrenos degradados.